Seminário Nacional: Cena e Performance

O SEMINÁRIO NACIONAL: CENA E PERFORMANCE é um seminário aberto e gratuito que integra as atividades do Neelic no projeto “12 anos do Grupo Neelic: Arte Pública para todos via Teatro e Performance”, realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (PRÓ-CULTURA RS FAC), Lei nº 13.490/10.

Todas as atividades do seminário acontecem no Mezanino da Usina do Gasômetro.

Confira, abaixo, a PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

Abertura Oficial
29.09.2016
14h: Coquetel e credenciamento

Mesa Temática
29.09.2016
16h: Teatro e performance na cena contemporânea
Em um diálogo coletivo, os professores-artistas Elizabeth Jacob, André Rodrigues, Desirée Pessoa e Márcia Donadel irão trazer ao público suas percepções, na especificidade de seus trabalhos práticos, sobre os diferentes aspectos do encontro entre teatro e performance.

Palestras

30.09.2016

17h: Carne humana: ativismo e performatividade – Profa. Dra. Elizabeth Jacob (RJ)
Em 20 de março de 2012 o grupo de ativistas “Anima Naturalis” realizou em frente à Catedral de Barcelona, Espanha um ato contra o consumo de carne. A performance consistia na apresentação de 20 ativistas embalados, etiquetados e sujos de sangue artificial em bandejas iguais as usadas para a venda de carne nos mercados. Cabe nesta apresentação discutir este ato público visando entender como a arte contemporânea profana a antiga imagem do corpo idealizado pela arte, na medida que afirma a literalidade do corpo humano e problematiza-o evocando as ambiguidades constituintes de nossa percepção do mesmo, a nível de sua fisicalidade, imagem e representação.

18h: Algumas abordagens possíveis sobre a arte da performance – Prof. Dr. Chico Machado (RS)
Nesta fala, o Prof. Dr. Chico Machado irá trabalhar com o público a partir dos seguintes tópicos:
– as diferenças entre o ponto de vista das artes visuais e das artes cênicas em relação à performance;
– a distinção entre performance esteticista e performance anti-arte;
– a performance espetacularizada e a performance desespetacularizada.

01.10.2016

15h: Performance, política e alegria: cartografias da insubordinação – Prof. Ms. André Rodrigues (RJ)

Falência dos povos e dos destinos – falência total! […]
Ponham-me um pano por cima de tudo isso!
Fechem-me isso à chave e deitem a chave fora! […]
Agora a política é a degeneração gordurosa da organização da incompetência! […]
Sufoco de ter só isto à minha volta!
Deixem-me respirar!
Abram todas as janelas!
Abram mais janelas do que todas as janelas que há no mundo!
(Ultimatum. Álvaro de Campos. Lisboa, 1917.)

Pensando na definição de corpo criada por Espinosa, e defendida por Deleuze (2002) – segundo a qual um corpo é definido por duas perspectivas concomitantes: como relações de velocidades diferentes entre as partículas que o compõem, em dinâmicas de repouso e movimento, acelerações e lentidões (não é definido um corpo por sua forma, órgãos ou funções); e, em outro viés, é definido por seu poder de afetar e ser afetado, pelos afetos de que o corpo é capaz – a arte da performance tem se mostrado nas últimas décadas como importante mecanismo artístico ativador de experiência, na potência de afetar e criar corpos. Esta palestra busca investigar e desdobrar questões sobre a performatividade e a capacidade política da alegria como fator transgressor e produtor de desejos e deslocamentos intersubjetivos.

16h: A Arte da Performance: interações, provocações e estranhamentos com os espaços da cidade. – Prof. Ms. Davi Giordano (RJ)
A palestra desenvolve uma reflexão sobre os princípios básicos da Arte da Performance, desenvolvendo assim uma genealogia entre a sua origem no início da seguda metade do século XX até a atualidade. Serão abordados casos que nos permitem pensar questões essenciais da arte contemporânea, como: performatividade do real, cena expadida, transversalidade estética, dispositivos, corpo, presença, hibridização de linguagens artísticas, incorporação das novas mídias, arte líquida, arte em rede etc. Para isso, serão comentados casos de artistas brasileiros e internacionais que revelam potenciais críticos para a contemporaneidade.

04.10.2016

15h: O Treinamento e a Criação do ator/performer na contemporaneidade – Prof. Dr. Daniel Alberti (SP)
Essa palestra visa pensar sobre o ofício do ator no que diz respeito ao seu processo pedagógico e criativo tendo em vista uma perspectiva histórica do trabalho do ator no século XX. A ideia é pensar caminhos para o ator/performer em relação com sua prática, sua estética, e sua forma de ação na sociedade. A partir dessa reflexão, abre-se o espaço para pensar como mudaram os procedimentos individuais e coletivos para improvisação e composição cênica a partir da relação do artista cênico com objetos, movimentos, tempo, espaço, música, luz som. Da mesma forma visa-se levantar alguns desafios do ator/performer em decorrência das transformações estéticas a partir do período moderno até a contemporaneidade. Para, por fim, encontrar como ocorre a aderência do público com o teatro contemporâneo.

16h: A ética na criação em teatro performativo – Profa. Ms. Desirée Pessoa (RS)
A palestra irá descortinar noções estudadas pela pesquisadora durante seu curso de Doutorado em Artes Cênicas (em andamento) à luz de pensamentos de filósofos pós-estruturalistas. A partir da ideia de corpo como conceito operatório, são problematizadas questões que envolvem a criação em teatro e performance e a realidade de grupo artístico, especificamente sob o ponto de vista da criação em processo colaborativo. São abalados, nesta palestra, entendimentos comuns sobre os conceitos de ética e moral. Decorrem daí novos problemas, que são encarados sempre a partir da dimensão da composição corporal, com base no corpo-sem-órgãos idealizado inicialmente por Antonin Artaud e trabalhado, posteriormente, por Gilles Deleuze e Félix Guattari.

Demonstração de Trabalho
04.10.2016
16h30min: A voz e suas possibilidades dramáticas e performáticas – Prof. Dr. Daniel Alberti
A partir de uma demonstração vocal, alguns exercícios e exemplos práticos do uso da voz, essa demonstração pretende sugerir uma relação com a criação e exploração sonora a fim de mapear aspectos do encontro entre teatro e performance.

Oficinas

Performance e a construção de poéticas pessoais – Prof. Ms. André Rodrigues
29.09.2016 a 01.10.2016*

A oficina tem como objetivo mediar experiências psicofísicas que instiguem seus participantes a experimentar no próprio corpo a arte da performance, através de jogos, imersões e reflexões. Pensando em corpo como capacidade de afetar e ser afetado, a oficina privilegiará técnicas relacionais e provocações que transitarão por temas como: espontaneidade e estrutura, abertura de camadas de significação e criação de programas performativos.
Partindo da ideia de performance como ação que é, ao mesmo tempo, inerente aos desafios de seu tempo e potente complicador cultural, os diálogos entre teatro e performance vão se estabelecendo, entre atritos e distanciamentos, na capacidade que uma arte de corpo presente possui de (des)habituar, (des)mecanizar maneiras de agir e pensar. Dissonâncias, ativações, expansões e rupturas de limites vão sendo colocadas em jogo através de práticas insubordinadas, motores de experimentação para o artista que faz e o espectador que as recebe, em eventos processuais e artísticos capazes de embaralhar e desafiar lugares e funções predeterminados.

Público-alvo: Estudantes, artistas e todos os interessados em experienciar individual e coletivamente diálogos práticos com a arte da performance. Idade mínima: 18 anos.

Forma de inscrição: Reserva de vaga por e-mail (teatrodoneelic@gmail.com) com nome, idade, telefone, área de formação e área de atuação profissional.

*horários especificados em tabela anexa a esta programação

Teatro Documentário, Biodrama e Autobiografia – o real em conflito sob memórias e ficções – Prof. Ms. Davi Giordano
01.10.2016 e 02.10.2016*

A Oficina trabalhará de forma teórico-prática a experimentação de uma série de jogos e improvisos teatrais que investigam a dimensão da teatralidade na vida cotidiana. Os participantes serão convidados a brincar com as suas memórias de vida a partir de de conceitos e temas como teatro documentário, (auto)biografia cênica, autoficção, biodrama e performance.
Os temas Teatro Documentário, Biodrama, (Auto)biografia, Autoficção trazem uma noção de “cena expandida e performativa” que lida com a encenação de memórias, relatos reais, documentos e histórias de vida dos participantes. Trata-se de uma experimentação cênica que aborda a performatividade do real, resultando num laboratório cênico que atua sobre o campo dos imprevistos, dos acasos, das contradições e das dialéticas humanas. As memórias do participantes serão encenadas e reveladas por procedimentos e dispositivos de performances solos numa mistura entre realidade e ficção.

Público-alvo: Profissionais das artes cênicas, estudantes, universitários e pessoas que possuem afinidade com temas relativos a memórias, histórias de vida, documentário, ficção etc. Não precisa ter experiências prévia com teatro. Inclusive é desejável a inclusão de pessoas sem experiência na área. Idade mínima: 15 anos.

Forma de inscrição: Reserva de vaga por e-mail (teatrodoneelic@gmail.com) com nome, idade, telefone, área de formação e área de atuação profissional.

Para os dias desta oficina, os participantes devem trazer: uma foto, uma carta, um documento, um objeto pessoal, arquivos, etc.

*horários especificados em tabela anexa a esta programação

Arte da Performance: arte relacional, intervenções urbanas e ações de rua – Prof. Ms. Davi Giordano
02.10.2016*

A Oficina propõe elaborar uma série de experimentações práticas com o objetivo de vivenciar os princípios básicos da Arte da Performance: gênero artístico com natureza transgressora e provocativa, quebra das convenções, arte do aqui (espaço) e do agora (tempo presente), arte da presença, ritual artístico, presença/participação do espectador, hibridez da linguagem artística, artista como sujeito e atuante de sua arte, performatividade do real etc. Os participantes vivenciarão experiências de (re)enactment de performances conhecidas assim como serão estimulados a conceber seus próprios trabalhos de performance. Numa segunda etapa, serão abordados os temas de Arte Relacional, Intervenções Urbanas e Ações de Rua. Os participantes realizarão suas criações num espaço público perto do local onde acontece a Oficina.

Público-alvo: Profissionais das artes cênicas e de áreas afins (Artes Visuais, Cinema, Dança, Fotografia, Música), estudantes, universitários e pessoas que desejam conhecer a Arte da Performance. Não é necessário ter experiências prévias com Artes Cênicas. Idade mínima: 15 anos.

Forma de inscrição: Reserva de vaga por e-mail (teatrodoneelic@gmail.com) com nome, idade, telefone, área de formação e área de atuação profissional.

*horários especificados em tabela anexa a esta programação

As Coincidências do Ator Entre o Teatral e o Performativo – Prof. Dr. Daniel Alberti
02.10.2016 a 04.10.2016*

Por meio da relação entre tempo e espaço, essa oficina propõe treinar performers/atores, de forma a potencializar a capacidade de improvisação corpóreo/vocal, criar material cênico para teatro e dança e ampliar a consciência do artista cênico.
A partir da prática do Viewpoints que sugere materiais não dramáticos, a oficina irá explorar a vivência de materiais que transitem entre o drama e os instantes de intensidade caros à performance.
Público-alvo: Atores e estudantes de teatro. Idade mínima: 16 anos.

Forma de inscrição: Reserva de vaga por e-mail (teatrodoneelic@gmail.com) com nome, idade, telefone, área de formação e área de atuação profissional.

*horários especificados em tabela anexa a esta programação

Espetáculos

Primeiro Amor
Espetáculo de autoria do Grupo Neelic, livremente inspirado na novela homônima de Samuel Beckett, Primeiro Amor traz dois personagens – um mendigo e uma prostituta – em cujo encontro o amor é a todo o tempo fracassado por suas condições existenciais (miséria, abandono, exclusão social). Constitui-se, assim, a metáfora perfeita para a primeira experiência amorosa no contexto da condição humana como um todo, marcada pela miséria e vulnerabilidade.

Capital
Inspirado na novela “Bartleby, o Escrivão”, de Hermann Melville, Capital traz um escritório cujo sistema é desarticulado a partir da contratação de um estagiário. O estranho personagem que desiste, que traz ao seu ambiente de trabalho a deserção social que carrega consigo enquanto age a partir da singela afirmação do clássico da literatura “Eu acho melhor não”, na montagem, se converte em uma homenagem política do Grupo Neelic ao pedreiro carioca Amarildo e ao jovem tunisiano Mohamed Bouazizi.

PROGRAMAÇÃO – SEMINÁRIO NACIONAL CENA E PERFORMANCE 

programacao_cenaeperformance

para ampliar e fazer download da programação, clique aqui.

Currículos dxs artistas/professores convidadxs:

Elizabeth Jacob – Doutora em Teatro pela UNIRIO, Mestre em Comunicação Social pela UFF, Mestre em Esthètique: Cinema, Television et Audiovisuel – Université de Paris I Pantheon Sorbonne.Atualmente é Professora do Curso de Comunicação Visual- Design, EBA/UFRJ e do Programa de Pós-Graduação em artes da Cena, ECO-UFRJ. Professora convidada pela “Escuela Internacional de Cine e Tv”, Cuba. Trabalhou para The Survivors of the Shoah Archives de Steven Spielberg na realização de uma série de documentários. Trabalhou para diversas emissoras de televisão na área de Cenografia e Direção de Arte no Brasil e no exterior.

Chico Machado – (João Carlos Machado). Vive e trabalha em Porto Alegre/RS. Professor adjunto do DAD/UFRGS. Bacharel em Pintura e em Desenho (1991), Especialista em Teoria do Teatro Contemporâneo (2000), Mestre (2005) e Doutor em Poéticas Visuais (2012) pelo IA/UFRGS. Atuante nas áreas de artes visuais, música, vídeo e teatro desde 1984, tendo obtido diversos prêmios nacionais e regionais.

Desirée Pessoa – Diretora e fundadora do Grupo Neelic, Desirée Pessoa é encenadora com título de Mestre em Artes Cênicas pela UFRGS. É Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas na UNIRIO. É atriz e performer. Especialista em Ética nas Artes Cênicas, graduada em Teatro pela UFRGS, já dirigiu diversos espetáculos de teatro performativo.

Márcia Donadel – Atriz-pesquisadora, doutoranda no PPGAC-UFRGS (2016), atuou como professora substituta na Faculdade de Teatro – UFRGS (2015), mestre no PPGAC-UFRGS (2012). Cursou o Workshop Intensivo de Lessac Greencastle, EUA (2011). Possui Pós-Graduação – UFRGS (2010) e graduação em Bacharelado em Teatro – Interpretação Teatral na UFRGS (2007).

André Rodrigues – Performer, professor e palhaço. É Mestre em Artes Cênicas pelo PPGAC/UNIRIO e Doutorando em Artes Cênicas investigando política, performance e bufonaria. É bacharel em Artes Cênicaspela Escola de Teatro da UNIRIO, formado em 2011, e professor licenciado em Artes Visuais formado pela UERJ no ano de 2010. É professor de Arte e Educação da Rede Faetec do Estado do Rio de Janeiro desde 2011.

Daniel Alberti – Ator do grupo Teatro Labirinto de São Paulo, ganhou prêmios no Brasil e exterior, ministrou cursos e palestras sobre Interpretação, Dramaturgia, Dança Teatro, Voz, Viewpoints, Coreologia, Direção Teatral em muitos estados brasileiros. Realizou esse mesmo trabalho em boa parte da América Latina, EUA e Europa. Formado pela Escola de Arte Dramática da USP, Licenciatura em Artes Cênicas da USP e Mestre e Doutor pela UNICAMP.

Davi Giordano – Diretor, professor e escritor de teatro e performance. Mestre em Artes Cênicas pela UNIRIO e doutorando pela UFRGS. Atualmente também trabalha como coaching de atores e profissionais de diversas áreas. Colaborador convidado da Revista Performatus. Trabalha como professor substituto da Graduação em Licenciatura/Teatro da UFPel.

Anúncios